Bianchi e a chegada de sua nova linha elétrica no Brasil

Bianchi e a chegada de sua nova linha elétrica no Brasil

Bianchi é uma das ótimas marcas para todo o tipo de pedal, para quem investe no ciclismo profissional ou busca bikes de qualidade no mercado.

Assim, neste artigo vamos conhecer mais sobre a empresa, sua chegada ao Brasil e os mais famosos modelos que fizeram a empresa uma das mais conceituadas e renomadas marcas no mundo todo.

Veja também:

História da Bianchi

Antes de tudo, a Bianchi nasceu em 1885 na cidade de Milão, na Itália, pelas mãos de Edoardo Bianchi. Edoardo nasceu na Terra da Bota em 1885 e foi o fundador tanto da Bianchi quanto da fabricante de carros Autobianchi. Desse modo, o italiano tinha um jeito parecido de pensar com o de Henry Ford e seus negócios contribuíram para a criação do “Reparto Corse”, o “departamento de corridas” da empresa.

A princípio, Bianchi fazia consertos em sua oficina e produzia quadros para as bikes. Sua capacidade de criação e rapidez em entender tudo de bike chamou a atenção na época. Bianchi, por exemplo, reduziu o tamanho do diâmetro de uma roda dianteira, a fim de equilibrar a diferença da ação aplicada a corrente, além de baixar a altura dos pedais e fazer com que ficassem mais leves.

A partir desta ideia, Bianchi criou um veículo similar, com rodas ainda menores, sendo as rodas dianteira e traseira do mesmo tamanho. O invento recebeu o nome de “o pequeno ferreiro”. Com o tempo, Bianchi foi ganhando experiência e acabou se mudando para um local maior.

Em seguida, em 1888, Bianchi ganhava a fama pela Itália. Neste momento, já com uma nova oficina, começou a trabalhar com bikes com pneus infláveis, uma invenção feita pelo engenheiro escocês John Boyd Dunlop.

Realeza e outros projetos

Bianchi foi chamado pela Casa de Sabóia para ensinar o uso de bicicletas à realeza, até mesmo para a rainha Margherita. Em 1895, se tornou o “fornecedor do lar real”. Nesse ínterim, nos séculos XIX e XX, Edoardo ganhou diversos prêmios em exibições nacionais e internacionais, em especial, nas cidades de Milão, Paris, Bolonha e Roma.

Em seguida, em 1987, construiu sua primeira moto com a colaboração de Gian Fernando Tomaselli. Sua invenção tinha um cilindro de quatro tempos no ponto mais baixo do triângulo que forma o quatro, como um meio de conseguir um ponto de gravidade baixo, obtendo uma condução mais segura ao piloto. No entanto, Bianchi encerrou a produção de motos em 1967.

Todavia, a Bianchi apresenta a ideia de trazer design, estilo e bom gosto para os seus produtos. Contudo, a empresa se baseia na opinião de seus clientes para criar os melhores modelos do mercado. Hoje, a Bianchi conta com a inovação, ciência e tecnologia para estar presente há mais de 100 anos no mundo das bikes.

Departamento de Corrida da Bianchi

Em 1899, Bianchi criou o Departamento de Corrida, dando mais ênfase para as diversas provas de bikes pela Europa. Neste mesmo ano, a empresa ganhou o Grand Prix de la Ville de Paris com Giovanni Tomalessi, no primeiro sucesso da marca com uma bike esportiva. Em seguida, em 1911, a empresa foi destaque na terceira edição do Giro d’Itália com Carlo Galetti.

Assim, em 1905, a Bianchi se tornou uma sociedade anônima, com Edoardo como diretor administrativo. A empresa teve o maior crescimento entre os anos de 1913 e 1940. Durante a Primeira Guerra Mundial, a Bianchi forneceu bikes para o exército.

Em seguida, com o pós-guerra e o aumento do mercado de motos, a Bianchi teve uma outra grande expansão. Entre 1924 e 1938, a venda de bikes cresceu em quase 200 mil unidades por ano, com a Bianchi sendo a maior vendedora.

Edoardo chegou a produzir um automóvel (com motor de um só cilindro). Ele iniciaria, tempos depois, sua produção em série, mas o projeto foi encerrado com a eclosão da Segunda Guerra Mundial.

Sua expansão só ocorreu nos anos seguintes, até a primeira crise com a Segunda Guerra Mundial. Edoardo morreu em 1946 em um acidente de carro. Assim, seu filho Giuseppe assume o comando da marca. Em 1964, a Bianchi entra em uma grave crise, com o setor de ciclismo sendo o único a se salvar dos prejuízos.

Então, a marca passa por muitas mudanças nos anos seguintes até ser comprada pelo Grupo Grimaldi, em 1997. A partir deste período, a Bianchi retoma a sua produção e seu prestígio no mercado, com modelos com amortecedor de freio.

Parceria com a Ferrari

Em 2017, a Bianchi ganhou o apelido de “Ferrari das bikes” por sua parceria com a escuderia italiana, para a criação e edição especial de bikes de alta performance. Assim, nasceu a linha “e-Omnia”, linha elétrica de bikes que ainda é inédita no Brasil.

Ainda mais, esta nova linha conta com uma tecnologia de ponta, com sistema de computador de bordo, cinco modos de velocidade, visor de autonomia, medidor de calorias e oferece uma maior segurança contra furtos por meio de soluções digitais para o bloqueio mecânico da bike. Além disso, as bikes contam com farol integrado, alta potência de motor, quadros leves e freio ABS opcional.

Em seguida, a marca fechou uma parceria com o ex-piloto de Fórmula 1 Nico Rosberg, para ser embaixador das linhas elétricas. Nico foi escolhido pela Bianchi por ser um grande nome do esporte e campeão da F1 em 2016.

Principais modelos Bianchi

O destaque da Bianchi é que suas bikes são estilo celeste, o que começou a ser comum na empresa em 1912. A cor se destacava entre as demais e é um marco até hoje no mercado.

Marco Pantani

Um dos principais modelos, por exemplo, é a Marco Pantani Mega Pro, de 1998, que venceu duas vezes o Grand Tour de Marco Pantani em 1998, quando o ciclista levou o Tour de France e o Giro d”Itália.

Exgeni Berzin

Outro modelo icônico da marca é o freio a disco Chrono, de 1996, utilizada pelo piloto russo Exgeni Berzin. A bike foi fabricada com titânio Columbus Hyperion e os tubos grandes foram dobrados em folha de metal e soldados por costura.

Mario Cipolini

O piloto Mario Cipollini também recebeu uma bike exclusiva, em 2005, para a disputa de uma prova contra-relógio. O ciclista se aposentou em 2008.

Assim, a Bianchi também fez uma parceria com a empresa C4, fundada por um ex-funcionário da empresa. A parceria ocorreu em 1986 e o modelo era uma das primeiras bicicletas monocoque de fibra de carbono. A tiragem desse modelo foi muito pequena.

Todavia, um grande destaque são as bikes pasta militar, de 1940, consideradas as primeiras bikes dobráveis com full suspension. Na parte traseira havia um amortecedor na parte superior dos apoios dos assentos, além de uma placa de aço que se dobrava como uma mola onde os apoios encontram o superior.

Chegada ao Brasil

Em janeiro de 2021, com o anúncio de uma nova linha de e-bikes e-Omnia, a SMS Import junto com a SEMEXE iniciou a pré-venda dos produtos no Brasil.

De acordo com a empresa, “Omnia” significa “tudo”, e seus modelos prometem trazer o prazer para o ciclista e atender as necessidades dos diferentes tipos de pilotos, sejam eles urbanos, entusiastas buscando lazer ou os mais experientes atletas de mountain bike.

Assim, esta nova linha promete satisfazer todas as necessidades dos diferentes tipos de ciclistas, sejam aqueles que buscam o pedal nos centros urbanos ou com mais habilidades para o mountain bike. Os brasileiros podem adquirir as e-bikes Bianchi por meio do sistema Semexe.

Esta linha contará com o quadro de modelos:

e-Omnia C

O primeiro modelo a ser produzido é o e-Omnia C. A bike possui quatro níveis de assistência: Eco, Tour, e-MTB e Turbo. Esses níveis atendem uma ampla variedade de estilos de condução.

Sua bateria é de 625Wh integrada com um tempo de recarga aproximado de duas horas para meia carga e de 5 horas para uma carga completa.

Bike e-Omina T

Esta bike possui suspensão na parte dianteira e alguns recursos de design inteligente. Este modelo pode encarar diferentes terrenos, desde o asfalto liso das estradas até terras leves.

Sua bateria é de 625Wh e motor Bosch, que proporciona alguns recursos extras, como é o caso da tela integrada à mesa de guidão.

e-Omnia FX

Esta bike também possui quatro níveis de assistência: Eco, Tour, e-MTB e Turbo e possui um motor Bosch de 625Wh.

O modelo ainda conta com freios de pinça de quatro pistões e vem com a opção de freios ABS, que aumentam a segurança, estabilidade, poder de parada e capacidade de manobra em terrenos complexos.

Bike e-Omnia X

Este modelo conta com componentes SRAM GX Eagle ou Shimano Deore, sendo que ambas possuem 12 velocidades. Os ciclistas ainda podem subir de nível com a opção de freio ABS na roda dianteira com suporte para maior estabilidade e capacidade de manobra em frenagem.

Finalmente, nos dias de hoje, com sede em Treviglio, a Bianchi é conhecida como uma das melhores marcas para bikes de alta performance e está presente nas principais competições, como o Tour de France e do Giro de Itália.

Para garantir a sua e-Omina antes de todos é só se cadastrar clicando AQUI.

Zomi do Bike com muito Bacon