O Guia de passadores definitivo.

O Guia de passadores definitivo.

Uma das principais partes do câmbio, o passador, é o que permite subir ou descer as marchas de sua bike durante os pedais. Acompanhe nesse artigo o Guia de passadores definitivo para tirar todas as suas dúvidas.

Antes de tudo, vale lembrar que existem vários tipos de passadores por ai. No geral todos fazem a mesma coisa, com exceção do passadores sem fio, puxando e aliviando o cabo que permite as mudanças de marchas.

Veja também:

Tipos mais comuns

Passadores indexados x Passadores de fricção

Atualmente a maioria dos passadores, tanto para MTB quanto para estrada, são indexados, ou seja, cada clique no passador movimenta com precisão o cabo do câmbio, passando a marcha com precisão.

Enquanto os passadores de fricção forçam o ciclista a movimentar a alavanca com precisão para uma troca de marchas precisa, o que dificultava muito as trocas de marcha.

Passadores de Estrada x Passadores de MTB

Bem como já mencionamos, existem uma infinidade de passadores diferentes. Mas a maior diferença é entre os de MTB e os de Estrada.

Primeiramente pela ergonomia e posição de pedalada que cada tipo de bike exige. Os passadores de estrada(modernos) foram feitos para serem montados juntos ao sistema de freios e colocados em um guidão Drop.

Os passadores de MTB são feitos para uma montagem em um guidão “normal”. Posicionados no guidão onde podem ser ativados pelos polegares e indicadores.

Lembrete: Para um câmbio ficar em perfeito funcionamento, é necessário ajustes e manutenção com certa regularidade. Um dos principais motivos de degradação da performance do câmbio nas trocas de marchas, é a qualidade do cabo. Cabos de baixa qualidade perdem suas propriedades e afetam no ajuste do câmbio.

Ou seja, use cabos de qualidade, lubrifique-os e faça os ajustes necessários quando necessário. Assim você evita imprevistos.

Sempre que você for trocar seus passadores de estrada ou MTB, verifique se os passadores são compatíveis com o seu câmbio. Um passador de 11 velocidades precisa de um câmbio de 11 velocidades, por exemplo.

Bem como, não é recomendado misturar peças de diferentes marcas no seu grupo. Pois cada marca usa um padrão diferente em cada sistema. (por exemplo, a quantidade de acionamento do cabo, ou o comprimento do cabo puxado por troca de marcha, varia de acordo com o fabricante), portanto, substitua semelhante por semelhante.

Principais tipos de passadores pra MTB.

Passadores de gatilho ou “rapidfire”: Os mais comuns atualmente, são colocados abaixo do guidão. O ciclista usa polegares e indicadores para passar as marchas

Passadores GripShift: Desenvolvidos para MTB, são aqueles onde você não possui um “gatilho” e sim um sistema de “giro” anexado no próprio guidão. Menos comum entre os MTBikers, mas ainda possui seus fãs.

Principais tipos de passadores de estrada.

Atualmente a maioria(ou todas) das bikes de estrada possui sistema de freios e passadores integrados. Com nomes e funcionalidades diferentes para cada um dos principais fabricantes. A Shimano chama de STI (Integração total do sistema), a Campagnolo chama de Ergopower e a SRAM chama de Doubletap.

Principais características passadores de estrada:

Shimano STI: Os ciclistas passam a marcha para as coroas maiores pressionando a alavanca de freio lateralmente, e diminuem as marchas pressionando uma pequena alavanca separada logo atrás da alavanca de freio. Por outro lado, câmbios mais simples usam uma pequena alavanca na parte interna, pressionada pelo polegar para reduzir as marchas.

Campagnolo Ergopower: Usa uma alavanca pequena atrás do freio para aumentar as marchas e um pequeno botão para diminuir as marchas.

O sistema Ergo também é indexado apenas no lado direito (não para mover entre as coroas, que é a mudança de fricção), enquanto os sistemas SRAM e Shimano são indexados em ambos os lados. Isso torna os passadores Ergo compatíveis com todos os tamanhos de coroas e conjuntos de correntes duplos ou triplos, enquanto os passadores Shimano / SRAM devem ser especificamente combinados com o tamanho e número de coroas a serem usadas.

Chain Reaction sobre o tema.

SRAM Doubletap: Usa apenas uma alavanca para aumentar e diminuir as marchas. Ao tocar em uma direção, com toques curtos e rápidos movem as marchas para cima. Em contrapartida, um movimento longo na alavanca reduz as marchas.

Os três principais fabricantes possuem versões eletrônicas de seus câmbios. Os câmbios Shimano com a extensão Di2, a SRAM com a extensão eletrônica sem fio eTap ou AXS e Campagnolo com a extensão EPS de seus câmbios.

A principal diferença entre os convencionais e eletrônicos é que ao invés do câmbio puxar uma extensão especifica do cabo para mudar a marcha. Para mover o câmbio é enviado um sinal eletrônico (com fio ou sem) para fazer a troca.

Por fim, existem também os passadores específicos de bikes de TT. Montados no final do clip, possuem versões convencionais e eletrônicos.

Lembrando que você pode encontrar passadores e muitos outros componentes na Semexe.com!